Início > PÁGINA DE NOTÍCIAS > Brasil > “Mas descerá sobre vós o Espírito Santo e vos dará força; e sereis minhas testemunhas…”

“Mas descerá sobre vós o Espírito Santo e vos dará força; e sereis minhas testemunhas…”

Confira a carta 08/2018 aos membros da Renovação Carismática Católica do Brasil, escrita pela presidente do Conselho Nacional da RCC, Katia Roldi Zavaris. As cartas da presidente, escritas a cada bimestre, oferecem direcionamentos e partilhas espirituais para o trabalho de evangelização desenvolvido pela RCC em nível nacional. Leia e compartilhe o conteúdo com todos os irmãos do seu Grupo de Oração e Diocese.

——————————-

CARTA À RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA DO BRASIL

 “Mas descerá sobre vós o Espírito Santo e vos dará força; e sereis minhas testemunhas…”
(At 1, 8)

Doc. 08/2018 – Vitória/ES, 20 de junho de 2018.

 

Amada família Carismática do Brasil!

No último dia 20 de maio deste ano, recordamos o envio do Espírito Santo sobre os discípulos reunidos com Maria no cenáculo em Jerusalém – o Pentecostes!

“Chegando o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um ruído, como se soprasse um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam sentados” (At 2, 1-5).

O dia de Pentecostes descrito no relato dos discípulos, que recebem o Espírito Santo no contexto Pascal da Ressurreição de Jesus, é um dia em que suas vidas são transformadas, a partir do qual eles se convertem em testemunhas corajosas de um Jesus vivo que habitava no meio deles.

Nunca será possível haver evangelização sem a ação do Espírito Santo. Sobre Jesus de Nazaré, esse Espírito desceu no momento do batismo, ao mesmo tempo que a voz do Pai, “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo”, manifestava de maneira sensível a eleição e a missão do mesmo Jesus.

Depois, foi “conduzido pelo Espírito” que ele viveu no deserto o combate decisivo e superou a última prova antes de começar essa sua missão. Foi “com a potência do Espírito”, ainda, que Jesus voltou para a Galiléia e inaugurou a sua pregação, aplicando a si próprio a passagem de Isaías, “o Espírito do Senhor está sobre mim”. “Cumpriu-se hoje, acrescentou ele, esta passagem da Escritura”. E aos discípulos que estava prestes a enviar, disse soprando ao mesmo tempo sobre eles: “Recebei o Espírito Santo”. (…)

As técnicas da evangelização são boas, obviamente; mas, ainda as mais aperfeiçoadas não poderiam substituir a ação discreta do Espírito Santo. A preparação mais apurada do evangelizador nada faz sem ele. (…)

Nós vivemos na Igreja um momento privilegiado do Espírito. Procura-se por toda a parte conhecê-lo melhor, tal como a Escritura o revela. De bom grado as pessoas se colocam sob a sua moção.

(Beato Paulo VI, Evangelii Nuntiandi, 75)

Assim como aconteceu com os apóstolos, acontece conosco hoje, a efusão do Espírito Santo nos transforma radicalmente e nos envia à missão. E a promessa de receber uma nova força do Espírito Santo é para todos aqueles que são tocados pela graça e se abrem à Sua ação transformadora (cf. Evangelii Gaudium, 259).

Amados irmãos, somos chamados a anunciar o evangelho com coragem, em todos os Grupos de Oração e em todos os lugares aos quais o Senhor nos enviar! O próprio Jesus nos convida a sermos testemunhas do amor de Deus, que recebemos do mesmo Jesus. Ou seja, somos chamados, acima de tudo, a sermos testemunhas Dele. E isso significa uma grande diferença de entendimento, pois mostra que somos chamados a não só falar do que ouvimos e lemos, mas a falar do que nós mesmos vimos e vivemos (cf. At 4, 20).

O Pentecostes nos impulsiona a anunciar a ressurreição de Jesus e Ele mesmo, nos dará coragem e destemor para que em Seu nome, assim como os apóstolos e discípulos, possamos realizar milagres e prodígios para que o mundo creia que Ele está vivo e ressuscitou! Necessitamos testemunhar, em Espírito e em Verdade, a presença e o poder de Deus.

Testemunho é uma palavra grega, cuja raiz vem do vocábulo “mártir”. O testemunho cristão é o relato histórico de vida na igreja primitiva, que equivalia ao martírio pela fé. Ou seja, o martírio cristão equivale ao mandamento de “negar a si mesmo” e “tomar a sua cruz”. Com isso, conclui-se de maneira concreta que morre o homem velho e nasce o homem novo, o que significa abrir mão da vontade pessoal, para imperar a vontade de Deus.

Os discípulos de Jesus eram testemunhas em atos e palavras. Uma testemunha é aquela pessoa que atesta o que viu com seus próprios olhos e escutou com seus próprios ouvidos. O mundo de hoje necessita de autênticos discípulos missionários. Homens e mulheres que transmitam não só o que escutaram e ouviram de outrem, mas que eles mesmos, como evangelhos vivos, partilhem a transformação que Jesus fez em suas próprias vidas.

 “A todos nos toca recomeçar a partir de Cristo, reconhecendo que ‘não se começa a ser cristão por uma decisão ética ou uma grande ideia, mas pelo encontro com um acontecimento, com uma Pessoa, que dá um novo horizonte à vida e, com isso, uma orientação decisiva’.” (Documento de Aparecida, 12).

Por isso, irmãos e irmãs, com profundo sentimento de amor no coração, partilho a moção de Deus que nos envia a corajosamente sermos testemunhas vivas do Seu amor por nós, fazendo com que nossos medos e nossas acomodações sejam lançadas por terra como quem larga as redes à beira da praia e se dispõe a seguir Jesus.

Que Maria, a estrela da nova evangelização, que deixou-se conduzir pelo Espírito Santo de Deus, nos ajude a compreender o papel de testemunhas corajosas da nova evangelização.

 

Unidos no Amor de Jesus e Maria,

Katia Roldi Zavaris

Presidente do Conselho Nacional da RCCBRASIL